Sexta-feira, 31 de Outubro de 2008

Folha-17b

 

transumante, a mesta ou mestas, pontificavam no ermo lugarejo.

           Antes de aldeamento agrícola, o bucólico lugar das Mestas foi outrora acampamento de pastores e dormitório de rebanhos.

          Com 1 fogo e 11 habitantes, o agora denominado lugar das Mestas reúne condições ideais para a prática agro-pecuária cuja exploração a sério convinha iniciar, conjuntamente com a reactivação da industria mineira de estanho que na década de 40 imprimiu à zona uma dinâmica nova de progresso. Para que isso aconteça e a localidade desperte é necessário também divulgar mais o lugar, sobretudo em termos de interesse turístico.

          Os amadores de desporto ao ar livre têm no lugar das Mestas a "piscina" e o "recinto" que lhes permitem: correr, repousar,  sonhar ou, os mais atrevidos, caçar, pescar e praticar natação e montanhismo. Tudo encontra aqui nas antigas vias rompidas pelo gado, nos "pesqueiros" do Cabril, nas águas cristalinas da represa, na luxuriante paisagem ribeirinha e no contacto com a flora e a fauna selvagem das encostas,  o atleta que sem club nas suas incursões turísticas visite este lugar que fundado por pastores foi também albergue de ilustres caminheiros, no passado. CP

==================================

TOPONÍMIA LOCAL

Relacionados com a flora antiga, vamos mencionar alguns topónimos existentes na freguesia de Vilar de Ferreiros:

Aradeiras = lugar de Vilarinho.

Bogalhos =lugar de Vilar

Carvalha  =lugar de Vilarinho

Carvalhal = lugar de Vilarinho

Castanheira = lugar de Vilarinho

Cerdeiras = lugar de Vilarinho

Linhares = lugar de Vilarinho

Palhaços = monte de Vilar

Palhacinhos = monte de Vilar

Pau Ruivo = monte de Vilarinho

Poços do Linho = lugar de Vilar

Nabiça= monte de Vila Chã e C ovas

Ribeiro Salgueiro= riacho das Mestas

Sobreiro = lugar de Vilarinho

Souto = lugar de Vilar

Vinhas = lugar de Vilar.

=============================

FRÁGUAS

          Associado à toponímia de certas terras onde outrora foi praticada a actividade siderurgica, o vocabolo Fráguas também na nossa freguesia aparece como identificador toponímico de mais que um lugar, embora assinalado com a grafia "Fraiguas" por efeito de pronunciação popular.

          Diluido pelo esquecimento, o significado gramatical de fráguas deixou de ser sinónimo de "forjas" e "fornalhas" para os actuais habitantes das antigas Ferrarias de Entre Tâmega e Douro, que  agora imaginam  andar o termo, que em Vilar e  Vilarinho dá o nome a  dois lugares, relacionado com fragas ou fraguedos, o que na verdade não é. O termo tem a ver com fundição de ferro. Borges

publicado por aquimetem às 14:17
link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 12 de Outubro de 2008

Folha-17

 

< EDITORIAL

          Aproxima-se mais uma época alta de festividades por todo o Norte de Portugal. O folclore e a etnografia são elementos fortes dessas manifestações populares que vão decorrer nas mais diversas localidades portuguesas espalhadas desde o Minho aos açores, quando não até Macau e Timor...

          Cada terra ou região tem as suas tradições próprias que exibem e cultivam a seu gosto. Dai o interesse das deslocações e permuta dos grupos de cultura e recreio por esse País fora, mostrando a alegria de ser Português .

          Rondando os 25 anos de formação e quase 7 de oficialização, o Grupo Folclórico e Recreativo de Vilarinho, representante de  uma terra com velhas tradições culturais na região de Basto, pode e deve orgulhar-se de, até ao momento, ser dos elos mais importantes do folclore das antigas Ferrarias com o exterior . P´rá frente...é o caminho.

M.M.Borges Lopes

MMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMM

As MESTAS (das FERRARIAS)

          Fica este lugar situado num vale de terra chã, bem modelado pelas bases dos florestados montes vizinhos da Nabiça, Pedreira e Toumilo, onde se dá a confluência do rio Cabrão com o Cabril, afluente do Tâmega. Durante séculos foi o lugar passagem quase obrigatória de todo aquele caminheiro que de terras de Basto seguisse para terras de Panóias ou das bandas de Lamas de Ôlo viesse para os lados das terras de Santa Senhorinha. Era por ali o melhor caminho e atalho para a montanha, salvo em alturas de fortes aluviões que impedissem a travessia das "pondras das Mestas". Neste caso, como ainda hoje acontece por falta duma ponte no lugar, até os moradores de Covas e Vila Chã ficavam isolados do resto da freguesia de São Pedro de Vilar de Ferreiros.

          Das origens do povoamento e designação do lugar é o próprio topónimo que dá as respostas, fazendo remontar ambos os eventos ao tempo em que o  comunitarismo Agro-Pastoril era corrente em toda a área  das Ferrarias e as corporações de pastores de gado     

continua

publicado por aquimetem às 00:00
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Dezembro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
11
12

16
17
18
19

20
21
22
23
24
26

27
28
29
30
31


.posts recentes

. Folha Informativa do GFRV

. Folh-33d

. Folha -33b

. Folha-33c

. Folha-33

. Folha-32b

. Folha-32

. Folha-32c

. Folha-32d

. Folha-31b

.arquivos

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

.tags

. todas as tags

.favorito

. paula-travelho

. Boletim ou Folha - 1

. Bodas de Prata duma Prela...

. O valor a quem o tem !

. Razões para uma escolha

. Os manos

. BTT- Fisgas de Ermelo - S...

. Coisas que não esquecem

. Errar é próprio do homem

. Laranjeiras

blogs SAPO

.subscrever feeds