Domingo, 30 de Novembro de 2008

Folha-18b

----------------------------------------------------------

O Bezerro d'ouro

(Lenda)

          Formada por um rebaixamento do solo, entre os cotos dos Palhaços e Palhacinhos, a Plaina dos   Mouros é hoje um ermo pedaço de terra montanhosa onde raramente a presença humana se faz notar, sobretudo após 1933, ano em que os Serviços Florestais iniciaram a florestação nos baldios...do concelho de Mondim de Basto. Antes disso era o lugar frequentado por pastores, carvoeiros e roçadores de Vilar, como havia sido em épocas remotas centro de movimentada actividade social e económica por acção dos habitantes do castro dominante ou citânia vizinha cujos testemunhos arqueológicos  ainda agora são por ali bem evidentes.  

          Com a volta do gado, a ida à lenha ou estrume , por ali passaram inúmeras gerações anteriores à década  de 30, e todas  por sua vez recomendando sempre umas às outras o cuidado... a ter sempre com o passar junto ao "esconderijo da moura encantada", que mais não é senão  um   montão de calhaus a esmo que diz também a tradição ser a boca da mina por onde os mouros levavam os cavalos a beber ao Tâmega. Mais adianta a lenda , existir ali para além da formosa moura encantada , um enorme tesouro enterrado do qual  se destaca um bezerro de ouro que a moura entregará a quem tiver a coragem de em dia e hora determinada lá for quebrar-lhe o encanto.  

          Para lá chegar, indo de Vilar, a escalada inicia-se junto à Poça do Souto seguindo através dum estreito quelho que vai dar aos Poços do Linho, ou pelo caminho que pelo Pontão vai dar ao mesmo sítio. Caminhando, temos alguns metros acima  o Carregal, onde virando à nossa direita podemos seguir  o caminho ou um atalho que nos leva pela encosta  até às Richeiras - zona de interesse arqueológico à espera ser estudada -  ao encontro com o Caminho Novo, de acesso  ao Monte Farinha. Já no Caminho Novo e uma vez nas  Richeiras de Cima, depois de percorridos uns 50 metros vamos deixa-lo e tomar à nossa direita o carreiro que ladeado por brava vegetação nos conduz até  à Fonte dos Gatos. É tempo de recordar que neste pedregoso e íngreme percurso já se gastaram com certeza uns bons 30 minutos do bom caminhar.

          Alcançada a Fonte dos Gatos, temos à vista o topo sul da referida Plaina dos Mouros, e ali, a um canto, surge encostado ao cerro do Meão Grande (ou Palhaços), o tal montão de calhaus que a tradição aponta como sendo um recinto enfeitiçado pela presença duma moura encantada com seus tesouros escondidos no interior da mina.  

          Com mais ou menos veracidade é a história que segue e cujos personagens que entram nela conheci e ouvi relatar, assim: "Se por caridade para com a moura, se por ambição de lhe tomar os bens..., o facto é que munida do livro de São Cipriano, e pela caladinha da noite de certo dia do ano lá foi monte arriba uma nossa conterrânea temidamente violar o arrenegado lugar. Com tão má sorte e azar tentou o desencanto que o resultado foi um susto e o cair  no ridículo de quem soube dessa suposta aventura...

          A tal respeito, e referindo-se à crendeira,  me contava, ainda há pouco, a ti Augusta Ferreira: " A ti Queirota, do Outeiro, bem lá foi  arriba p'ra trazer o bezerro d'ouro, mas o que lhe calhau em paga foi vir pelos ares parar ao Carregal, puxada por um redemoinho  de vento!!! E o  bezerro lá ficou, mais a moura... "

          Para não menosprezar a memória das saudosas irmãs Queirós que bem conheci, quero dizer à ti Augusta, para sua informação: - Em nossos dias, mesmo sem o livro das bruxarias, nem em noite de São João, tem havido muito boa gente de fora da nossa freguesia a fazer o mesmo....Só que esses devido ao peso das pias e doutros  artefactos arqueológicos saqueados, em vez de voarem levados por um redemoinho, são eles que fazem voar o património local, deixando ali somente o  que não podem levar: a moura e seu bezerro de ouro...

Costa Pereira

=======================================

Toponímia Local

          Continuando com o arrolamento dos diversos topónimos existentes na nossa freguesia , vamos desta vez focar aguns de origem arqueológica:

Cabeça do Homem    =   Penedo de Vilarinho

Cancela   =   lugar de Vilar

Castroeyro   =  lugar de Campos

Couto da Pena   =  monte  de Vilarinho

Muro =  lugar de Vilar

Mina dos Mouros  =  monte de Vilar

Pedra que Fala =  calhau de Vilarinho (Campo do Seixo)

Pedreira =  aldeia

Premurado =  monte de Vilarinho

Gruta do Ermitão = Monte Farinha

Richeiras = monte de Vilar

publicado por aquimetem às 19:55
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Dezembro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
11
12

16
17
18
19

20
21
22
23
24
26

27
28
29
30
31


.posts recentes

. Folha Informativa do GFRV

. Folh-33d

. Folha -33b

. Folha-33c

. Folha-33

. Folha-32b

. Folha-32

. Folha-32c

. Folha-32d

. Folha-31b

.arquivos

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

.tags

. todas as tags

.favorito

. paula-travelho

. Boletim ou Folha - 1

. Bodas de Prata duma Prela...

. O valor a quem o tem !

. Razões para uma escolha

. Os manos

. BTT- Fisgas de Ermelo - S...

. Coisas que não esquecem

. Errar é próprio do homem

. Laranjeiras

blogs SAPO

.subscrever feeds